O colágeno é uma proteína fibrosa que corresponde a 30% da proteína total do nosso corpo formando pele, revestimento de órgãos, tecidos conjuntivos, cabelos, unhas, articulações e cartilagens.  Podemos suplementar colágeno na forma de colágeno tipo I, que são peptídeos bioativos de colágeno e possuem uma função nutricional, ou seja: é como se a molécula do colágeno fosse quebrada em pequenos fragmentos para ser facilmente absorvida pelo corpo e ajudar na formação do colágeno que compõe os tecidos corporais.

O colágeno do tipo II, não-desnaturado, é derivado da cartilagem de frango, e é produzido em um processo não-enzimático, que ocorre a baixas temperaturas, garantindo a obtenção de um colágeno puro, com estrutura molecular inalterada, e sem alterações em suas atividades biológicas. É a molécula na sua forma íntegra que, quando em contato com o organismo, exerce uma ação anti-inflamatória na articulação e auxilia no processo de recomposição da cartilagem. O colágeno tipo II é a principal proteína estrutural na cartilagem e é responsável pela sua resistência, tração e firmeza.

O colágeno do tipo II atua na prevenção e tratamento de doenças osteoarticulares que incidem sobre as articulações. Seus efeitos positivos são observados em uso contínuo em adultos saudáveis, diminuindo as sensações dolorosas pós-exercício e aumentando a flexibilidade de articulações.

O colágeno tipo II é capaz de dessensibilizar o sistema imunológico e prevenir a hiperestimulação  autoimune às cartilagens. Por consequência, há um bloqueio da inflamação, reduzindo a dor articular. Quando o organismo cessa o ataque às cartilagens, é restabelecida a homeostase entre quebra e síntese do colágeno tipo II, devolvendo a mobilidade e o conforto e promovendo melhora da qualidade de vida.

Algumas doenças podem ser combatidas com o uso do colágeno do tipo II. A artrite reumatóide atinge cerca de 1% da população mundial. É uma doença inflamatória crônica e sistêmica que atinge principalmente mulheres de idade avançada, resultando na degeneração e erosão óssea da cartilagem. A osteoartrite, por sua vez, é uma doença que atinge pessoas acima do peso ou que fazem o uso repetido das articulações durante o trabalho ou ao praticar esportes. Nesses casos, o uso de colágeno tipo II atua na reposição do colágeno perdido, reduzindo dores e controlando lesões articulares.

Além de adotar a suplementação de colágeno após os 30 anos, é importante não sobrecarregar seu corpo com atividades físicas não orientadas por um profissional, manter uma rotina saudável e uma alimentação balanceada.